brazino777

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
PREMIAÇÃO

Durante o Círio Fluvial, Setur realiza 36° Concurso de Embarcações "Carlos Rocque"

Itens como ornamentação religiosa e cumprimento do horário foram avaliados por jurados. Entrega dos prêmios será realizada no próximo dia 19, em Belém.

Por Sâmia Maffra (SETUR)
07/10/2023 17h02

A Secretaria de Estado de Turismo (Setur) realizou neste sábado (07) a 36ª edição do Concurso de Embarcações "Carlos Rocque" para premiar barcos de todos os portes que participam do Círio Fluvial. As avaliações foram feitas por cinco jurados, que analisaram os critérios de ornamentação religiosa, postura da tripulação e obediência, e também outros itens como o cumprimento do horário, percurso do cortejo e a segurança da navegação.
 
As embarcações inscritas na Capitania dos Portos para a procissão das águas já estavam aptas a participar do concurso, desde que cumprissem as normas de segurança fluvial estipuladas pela Marinha e Capitania dos Portos e usassem a bandeira náutica que auxiliava na identificação identificação das participantes.

A entrega do Prêmio "Carlos Rocque" aos vencedores, que são os proprietários e decoradores das embarcações, será realizada dia 19 de outubro, às 10h, no Palacete Faciola. 

Júri- O time de jurados foi formado por Guilherme Martins (guia de turismo), Alexandre Baena (fotógrafo), Marcos Médici (influenciador gastronômico), João Fialho (diácono) e Marta Ferreira (professora e atriz). 

Os avaliadores e uma equipe técnica da Setur embarcaram no navio hidroceanográfico Rio Xingu, de onde puderam acompanhar a performance dos inscritos. Foram atribuídos pontos de 01 a 10 para cada quesito.

O guia de turismo Guilherme Martins, especialista no segmento religioso, já participa do Círio Fluvial desde a primeira edição dessa romaria, e nesse ano, fez sua estreia como jurado do concurso.

"Estou muito honrado com o convite e  minha expectativa é ser o mais justo possível. Vamos conversar entre os jurados para poder classificar as embarcações de modo que, a cada ano, esperamos que incentive ainda mais a participação e que brilhem nesse belo evento, que é a  premiação e nosso Círio", sintetizou. 

O fotógrafo Alexandre Baena acumula a experiência de fotografar as embarcações do Círio Fluvial. "Esse concurso surgiu na Secretaria de Turismo e e é louvável que continue porque leva nosso maior produto turístico, que é o Círio, ao mundo. É uma experiência diferente estar hoje como jurado. Nossa função não é julgar, e sim, premiar as melhores", comenta.

"Estou muito feliz de estar aqui e esse convite para ser jurada está sendo muito inusitado. Um concurso que eu sempre vi pela TV, hoje tenho a honra de avaliar todas essas embarcações belíssimas", disse a jurada Marta Ferreira. 

Para o influenciador gastronômico Carlos Médici, o convite para ser avaliador é de grande importância. "O Círio é um momento maravilhoso dessa cidade; a fé transparece e borbulha. É um prazer estar aqui nesse prêmio, como jurado dessas embarcações que dedicam tempo para decorar e homenagear Nossa Senhora. É um privilégio, me sinto prestando um serviço para o estado e para a população", sinalizou.

O diácono João Fialho de Freitas afirmou que a participação na seleção foi cercada de expectativa. "É uma responsabilidade diferente, mas também estamos aqui para incentivar que as embarcações estejam empenhadas em melhorar sua participação, sua ornamentação e que possamos escolher aquele que, de fato, mereça ser contemplado como melhor entre os participantes", comentou.

Segundo o titular da Setur, o Círio é uma grande evento que envolve uma complexa cadeia produtiva. "A festividade precisa de uma rede de prestadores de serviços e também de órgãos públicos que precisam estar organizados e preparados para receber esse turista do segmento religioso, seja nas peregrinações, nas procissões rodoviárias ou fluvial. Nosso papel, na Setur, é articular essa rede para garantir maior conforto, comodidade e segurança ao visitante. A Romaria Fluvial, em parceria com a Marinha e Capitania dos Portos, mostra mais uma vez o êxito desse trabalho coletivo", destacou Eduardo Costa.

Regulamento- Os inscritos concorrem em duas categorias: Categoria A - Embarcações regionais, que inclui cascos de madeira ou aço com dois ou até três conveses e normalmente transportam passageiros em rede para diversas localidades da região amazônica. Categoria B - Outros Tipos de Embarcações, composta por ferry boats, balsas, empurradores, iates, lanchas, veleiros, pesqueiro, entre outros.

Serão premiados os três primeiros colocados com o Troféu Carlos Rocque em ambas as categorias, além dos seus decoradores.

Procissão das Águas - A Romaria Fluvial e o Prêmio Carlos Rocque nasceram em 1986, idealizados e pensados pelo jornalista Carlos Rocque, à época presidente da Companhia Paraense de Turismo (Paratur), com o objetivo de homenagear Nossa Senhora de Nazaré, e especialmente, fomentar o turismo religioso.

Esta é a quarta romaria oficial da quadra nazarena, que sai do trapiche do Distrito de Icoaraci com destino à Escadinha da Estação das Docas. A Imagem Peregrina é levada no navio Garnier Sampaio, da Marinha do Brasil, responsável por também fazer a organização e controle de toda a Romaria Fluvial, que teve duração de duas horas. A procissão pelas águas envolveu 50 mil pessoas e, aproximadamente, 300 embarcações. O percurso estimado é de 10 milhas marítimas, em torno de 18,500 km.

O capitão-tenente da embarcação Rio Xingu, Vitor Teles Pimenta, é carioca, mas tem uma história de trabalho de três anos na Procissão Fluvial.

"Quando vim para o Pará foi uma surpresa ver como essa data é importante para o paraense. Como o povo tem  amor e carinho por Nossa Senhora. É o momento reunir a familia, cozinhar uma maniçoba juntos. Conforme servimos aqui,.vamos incorporando essa cultura e tentamos preparar os navios com orgulho de ver essa demonstração de fé, que é uma das maiores do mundo", analisa.

Para a operação no Círio Fluvial ser executada são necessários vários meses de treinamentos e reuniões, com participação da Capitania dos Portos da Amazônia Oriental, Corpo de Bombeiros, Força Aérea. "Para nós é um orgulho de  mais um Círio fluvial bem feito", afirma o capitão. 

Regras- A Marinha informou que somente barcos inscritos podem participar, todos usando adesivos e bandeiras fornecidos pela Secretaria de Estado de Turismo (Setue), entregues no momento do cadastro. As embarcações devem respeitar a capacidade e todos os ocupantes são obrigados a usar coletes salva-vidas. Menores de 12 anos não poderão ser levados em motos aquáticas e navios não podem entrar na área de isolamento.

Outros elementos serão analisados durante a romaria, como equipamentos de segurança em número adequado, superlotação, presença de materiais explosivos ou combustíveis e distribuição do peso de passageiros.

brazino777 Mapa do site