brazino777

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
LITERATURA

Festa Literária de Bragança celebra Vozes do Caeté a partir desta quarta (6)

Por Iego Rocha (SECULT)
04/12/2023 13h20

Entre os dias 6 e 10 de dezembro, será a vez do município de Bragança, na Região de Integração do Caeté, receber a Festa Literária. O evento contará com rodas de conversa, feira criativa e apresentações culturais em dois espaços: no teatro do Liceu de Música, localizado na travessa Senador José Pinheiro, e no Museu da Marujada, situado na travessa Cônego Miguel. Ambos os espaços ficam no centro de Bragança. A inciativa é da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), em parceria com a Prefeitura de Bragança. 

No Liceu de Música ocorre a feira propriamente dita, sempre a partir das 9h, com estandes de comercialização de livros e a programação da Arena Multivozes, espaço central e multiuso dedicado aos projetos das escolas de Bragança durante a manhã, às rodas de conversas durante a tarde e às apresentações artísticas durante a noite. Na quarta-feira (6), dia que marca a abertura, o espaço será o palco para a apresentação da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP), às 20h. 

Neste dia ainda, os homenageados da 26ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, Heliana Barriga e Salomão Larêdo, marcam presença durante a programação. Heliana discute o “Universo Infantil na Literatura Paraense”, ao lado de Paulo Serra, às 16h30, com mediação de Tati Reis. Já Salomão Larêdo fala sobre “Ficção, Memória e Atravessamentos na Literatura", junto com Jair Cecim e Dário Benedito Rodrigues, ambos da Universidade Federal do Pará (UFPA).       
      
“Nossos esforços são para que, cada vez mais, nossas ações estejam em todo o território paraense e as Festas Literárias são resultado disto. Bragança é uma cidade que abraçou a nossa Feira do Livro desde o início, e que carrega essa marca cultural e religiosa tão valorosa para o Pará. A Festa Literária de Bragança celebra a diversidade e nossas manifestações culturais, o diálogo com a literatura e o fortalecimento da produção literária do Caeté”, afirma Ursula Vidal, titular da Secult. 

Marujada- No Museu da Marujada, das 16h às 21h, acontece a exposição “Ao meu santo preto: um altar em construção", da artista visual Luciana Lemos. A exposição segue até o domingo (10). O diferencial acontece na sexta-feira (8), ponto facultativo estadual de Nossa Senhora da Conceição, mas que em Bragança também marca o calendário de esmolação do Glorioso São Benedito. Neste dia, ocorre a Tocada Regional da Marujada na exposição, às 19h30.  

O Museu da Marujada foi entregue à população há quase um ano. No espaço, foram injetados cerca de R$ 800 mil, via Governo do Estado e Prefeitura de Bragança. “É simbólico e muito significativo que a Festa Literária também ocupe este espaço dedicado à memória da Marujada. Bragança é uma cidade com uma cultura que nos orgulha muito, e essa é mais uma ação para, não só incentivarmos a leitura, mas para potencializarmos as manifestações culturais da região”, destaca Junior Soares, diretor de Cultura da Secult.  

CredLivro- O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), disponibilizará crédito de R$ 200 para 757 servidores da educação de Bragança e outros 14 municípios da região do Caeté para aquisição de livros no evento. O benefício é destinado apenas aos servidores ainda não contemplados. O aporte é de R$ 151.400,00. Além deles, a Universidade do Estado do Pará (Uepa) também destinará crédito aos servidores que ainda não utilizaram o crédito na região.

Multivozes- Como acontece desde 2019, quando a Feira Pan-Amazônica do Livro adotou o conceito de multivozes, a Festa Literária de Bragança apresenta temáticas durante os cinco dias. Na quarta, a feira dedica a programação às vozes dos Homenageados e do Escritor Paraense; na quinta, às vozes do Clima e da Cultura de Paz; na sexta, às vozes da Diversidade, da Inclusão e da Baixada; no sábado, às vozes da Infância e da Democracia; e no domingo às vozes da Região do Caeté.  

A programação valoriza os escritores e fazedores de cultura de Bragança e região do Caeté, por isso, conta com representações locais em todos os dias da programação. No último dia, dedicado às vozes do Caeté, ocorre uma roda de conversa sobre os mestres e mestras da região, com o mestre Benedito da Silva (de farinha), Nazaré Padilha e José Honório. Mestre Lázaro & Mani de Urutau e Regional e dança da Marujada de Bragança encerram a Festa Literária.

A programação completa da Festa Literária de Bragança está disponível no Instagram da Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes (@feiradolivroedasmultivozes) e da Secult (@secultpara).

Texto: Amanda Engelke - Ascom/Secult

brazino777 Mapa do site